Vídeos – Google Test Automation Conference 2013

Nos dias 23 e 24 de Abril aconteceu mais uma edição do GTAC – Google Test Automation Conference. Dessa vez também acessível via streaming. Os vídeos das 16 horas de palestras também já estão disponíveis no YouTube, os quais compartilho com vocês no decorrer do post. Ainda não tive tempo de assistir a todas as palestras, mas tenho certeza que o nível do conteúdo é excelente, pois já assisti a vários vídeos dos anos anteriores.

As palestras estão divididas em dois vídeos, referentes a cada um dos dias do evento, porém a partir da agenda você pode saltar para a palestra que mais lhe interessar. Já assisti as 4 primeiras palestras do dia 1 e gostei bastante das duas primeiras.

Segue a lista das palestras e os vídeos.

Dia 1:

Duração Palestrante Empresa Tema
00:15:00 Tony Voellm Google Opening
00:45:00 Ari Shamash Google Evolution from Quality Assurance to Test Engineering
00:45:00 James Waldrop Twitter Testing Systems at Scale @Twitter
00:30:00 Break
00:45:00 David Burns and Malini Das Mozilla How Do You Test a Mobile OS?
01:00:00 Lunch
00:45:00 Igor Dorovskikh and Kaustubh Gawande Expedia Mobile Automation in Continuous Delivery Pipeline
00:15:00 David Röthlisberger YouView Automated Set-Top Box Testing with GStreamer and OpenCV
00:15:00 Ken Kania Google Webdriver for Chrome
00:15:00 Vojta Jina Google Karma – Test Runner for JavaScript
00:15:00 Patrik Höglund Google Automated Video Quality Measurements
00:15:00 Minal Mishra Netflix When Bad Things Happen to Good Applications…
00:30:00 Break
00:45:00 Tao Xie North Carolina State University Testing for Educational Gaming and Educational Gaming for Testing
00:45:00 Simon Stewart Facebook How Facebook Tests Facebook on Android
00:15:00

Dia 2:

Duração Palestrante Empresa Tema
00:15:00 Opening
00:45:00 Mark Trostler Google Testable JavaScript – Architecting Your Application for Testability
00:45:00 Thomas Knych, Stefan Ramsauer, Valera Zakharov Google Breaking the Matrix – Android Testing at Scale
00:30:00 Break
00:45:00 Guang Zhu (朱光) and Adam Momtaz Google Android UI Automation
01:00:00 Lunch
00:45:00 Jonathan Lipps Sauce Labs Appium: Automation for Mobile Apps
00:15:00 Eduardo Bravo Google Building Scalable Mobile Test Infrastructure for Google+ Mobile
00:15:00 Valera Zakharov Google Espresso: Fresh Start to Android UI Testing
00:15:00 Michael Klepikov Google Web Performance Testing with WebDriver
00:15:00 Yvette Nameth, Brendan Dhein Google Continuous Maps Data Testing
00:15:00 Celal Ziftci, Vivek Ramavajjala University of California, San Diego Finding Culprits Automatically in Failing Builds – i.e. Who Broke the Build?
00:30:00 Break
00:45:00 Katerina Goseva-Popstojanova West Virginia University Empirical Investigation of Software Product Line Quality
00:30:00 Kostya Serebryany Google AddressSanitizer, ThreadSanitizer and MemorySanitizer — Dynamic Testing Tools for C++.
00:30:00 Claudio Criscione Google Drinking the Ocean – Finding XSS at Google Scale
00:05:00
Anúncios

Os testes estão atrapalhando a qualidade?

No primeiro post de 2013 relacionado a testes, compartilho com vocês uma palestra que encontrei do James Whittaker na conferência StarWest (Software Testing Analysis and Review) 2011. Largamente conhecido por suas contribuições a nossa área, ele questiona de maneira forte qual o verdadeiro papel dos testes.

James aborda diversas questões, que nos levam a refletir a importância de cada uma de nossas tarefas, por exemplo:

– Como ganhar respeito para os testes?

– Os testes são apenas uma disciplina que apoia o desenvolvimento?

– Os softwares estão ficando melhores… Porquê?

– Os bugs que você encontra poderiam ser encontrados pelos usuários?

– A única coisa que se mantém atualizada é o código.

O vídeo tem 55 minutos, mas tenho certeza que é um tempo bem investido. Assista e avalie como você se sente em relação ao seu trabalho com testes e principalmente como você pode torná-lo melhor?

 

“A única coisa que importa é o produto”

                                                                                     James Whittaker

Pessoalmente, concordo com muita coisa dita por ele no vídeo. Se prestarmos bastante atenção, o tom forte utilizado é apenas para chocar e chamar a nossa atenção a um problema visível e que muitos preferem empurrar com a barriga. Cada vez mais precisamos entregar valor, e ficar gastando tempo com atividades que pouco beneficiam o desenvolvimento do produto é um erro grave, do mesmo modo que o tempo perdido com trabalho que poderia ser melhor executado por ferramentas.

Você concorda com o cenário geral descrito por Whittaker? Ele, inclusive, aponta que estávamos enganados e que, sim, usuários e desenvolvedores podem testar melhor que uma equipe de testadores.

Link do post falando das ferramentas que o google tornou open-source para testes, mencionado no vídeo :

 – Google Testing Blog

No início do vídeo James faz um rápido questionário com a platéia, adicionei as perguntas abaixo em português, compartilhe conosco sua resposta:

BdB Recomenda – Aprenda a programar online e sem custos parte II

Algum tempo atrás, trouxemos no BdB Recomenda o projeto chamado Codeacademy – Learn to Code, uma maneira extremamente interativa de aprender a programar, através da prática direta da programação.

O post de hoje, faz uma nova indicação, que parece ser uma alternativa ainda melhor para o aprendizado online e sem custos, graças a excelente qualidade do material didático auxiliado pela boa organização das lições no site.

OUdacity foi fundado por três especialistas em robótica, que acreditavam que muito do valor de suas aulas na universidade poderiam ser disponibilizados online e a um custo muito baixo.

Os fundadores acreditam que o ensino universitário pode ser de alta qualidade e de baixo custo. Usando a economia da Internet, eles conectam professores de altíssimo nível a milhares de estudantes em quase todos os países da Terra.

O custo para começar o aprendizado é ZERO. A quantidade de cursos oferecidos já é considerável, entre eles estão disponíveis:

– Introdução a programação com Python

– Software Debugging

– Desenvolvimento Web – Construindo um Blog

– Introdução ao Teste de Software

E não esqueça de nos seguir no Twitter e juntar-se a nós no Facebook para ser informado das novas atualizações do blog!

Guia Android Design para Ice Cream Sandwich

Recentemente, numa sexta-feira 13 (sim, bem pertinente), a google lançou mais uma novidade para o seu sistema operacional, o Android Ice Cream Sandwich (4.0). Dessa vez, entretanto, a surpresa fica por conta de um guia de estilos para promover novas interações e o novo “look and feel” da versão nova.

A ideia geral por trás desse guia de estilos é tentar unificar a plataforma no que se diz respeito à interface. Além disso, existe uma preocupação por parte do google de tentar criar padrões visuais mais fortes e consistentes. Isso, entretanto não é novidade para, por exemplo, a Apple que sempre teve guias de design bem atrelados à plataforma.

Design Elements
Guia pretende consolidar padrões de interface

Uma coisa bem interessante sobre o guia é que ele tentou focar não somente nos desenvolvedores da plataforma mas também nos usuários, com dicas, padrões e e documentos que vão auxiliar em todo o processo, da criação à implementação. A primeira versão do portal pode ser encontrada em Android Design e já contém algumas coisas bem interessantes.

O guía é dividido em seções como Estilo, onde encontramos linhas gerais sobre interface como detalhes sobre cores, feedback, ícones e até tipografia e padrão de escrita. Já em Padrões, conseguimos identificar toda a parte de interação da plataforma, como estrutura da aplicação, gestos, compatibilidade e conceitos de interação. Por fim, temos os Blocos, onde podemos identificar os componentes e seus tipos e sub-tipos.

A consulta ao site é uma coisa bem válida para todos que estão começando a desenvolver, bem como para aqueles que já têm experiência com a plataforma. Lembrando que a ideia é que esse guia seja atualizado com novidades da plataforma. É, parece que agora, ninguém mais tem desculpa para desenvolver aplicações feias.

#TGIF – Consumer Eletronics Show 2012

A Consumer Eletronics Show ou CES 2012 chega ao fim hoje em Las Vegas. A feira apresenta diversas novidades, contando com a participação das maiores empresas de tecnologia, como: Samsung, Google, Microsoft, etc.

Hoje  destacamos no #TGIF dois vídeos do CES 2012, que trazem algumas novidades sobre as TVs ou Smart TVs. Assunto que interessa bastante a todos da indústria de software, por se tratar de uma nova mídia para desenvolvimento de aplicativos.

O vídeo da Samsung apresenta os recursos da TV, que pode ser controlada por gestos e voz.

Já o vídeo do Google TV mostra mais alguns detalhes do software e das ideias da empresa para esse mercado.

A série – Thank God It’s Friday ou #TGIF – aborda sempre um conteúdo mais divertido, mas que ainda assim possa contribuir com o seu crescimento pessoal e profissional.

Leia, também, outros artigos já publicados na série:

– As 3 coisas que descobri quando meu avião caiu

– Desafio dos 30 dias

Teste está morto parte 2

Como havia prometido, volto hoje ao tema abordado na semana passada. Tentarei destacar os principais pontos abordados no vídeo recomendado na parte 1. E antes de tudo, obrigado a todos pela participação no blog, na DFTestes e no Linkedin. A colaboração de vocês é fundamental para o enriquecimento da discussão.

A primeira grande contribuição do vídeo trata-se da abordagem inicial a evolução das metodologias de desenvolvimento e consequentemente as diferentes formas de atuação dos testadores. O palestrante, Alberto Savoia, a divide em dois grandes momentos: Old Testmentality e New Testmentality. Partindo da dependência completa dos documentos de requisitos, aos ciclos mais curtos das metodologias ágeis associados a uma maior integração entre desenvolvedores e testadores.

Durante a chamada Old Testmentality, as aplicações só eram entregues quando estivessem completamente “prontas”. Enquanto, que na New Testmentality, as entregas passaram a ser frequentes, exigindo uma participação constante do cliente na construção do “produto correto”.

Em seguida, Savoia começa a destacar os pontos que o levam a pensar que o teste tradicional está morto. Começando pelo o que ele chama de Post-Agile, a qual tem como diferencial o fato de apresentar uma postura mais casual e descuidada em relação aos testes ágeis tradicionais.

Segundo Savoia, a questão central cada vez mais é a construção do “produto correto” e não o simples desenvolvimento correto do produto ou das funcionalidades, ou seja, o objetivo é entregar um produto, que em primeiro lugar, atenda às necessidades dos usuários. Não basta ser apenas perfeito funcionalmente.

O palestrante nos lembra que de fato existem diversas aplicações fabulosas construídas utilizando os conceitos tradicionais, mas que a estrutura existente nos dias atuais, como a computação nas nuvens, permitem diminuir o foco da qualidade de software e transferi-lo para garantir que estamos construindo o produto CORRETO.

Um grande exemplo citado é o twitter, que tornou famosa sua baleia com a enormidade de vezes que deixava os usuários na mão, mas mesmo assim eles continuavam voltando, pois o produto era o desejado.

Nesse novo cenário, que se desenha, segundo Savoia, precisamos nos voltar para outro tipo de bug, o chamado idea bug, que podemos traduzir como bugs de conceito ou de idéia do produto.

Um produto errado é muito pior do que um produto com o comportamento errado.

A chave é testar a idéia, ou seja, garantir que estamos desenvolvendo o produto certo.

E como podemos testar a idéia?

A sugestão de Savoia é começarmos utilizando protótipos iniciais (pretotype), os quais ele diferencia dos protótipos tradicionais, por serem desenvolvidos e aplicados em curtos espaços de tempo. É fundamental testar cedo e falhar rápido, segundo o mesmo Bons testes falham rápido, diminuindo o tempo e o capital investido. (BdB – Os bons testes falham)

Alberto cita ainda alguns dos sinais observados, que o levam a crer no fim dos testes tradicionais.

Sinais do Testpocalypse:

– Diminuição no numero de contratações
– Comoditização dos testadores
– Saída dos antigos líderes e ausência de novos
– Mais e mais empresas partindo para o Post-Agile

Acompanhado essa corrente de mudanças existem enormes oportunidades. Savoia enfatiza a crescente necessidade do surgimento de novos líderes na área de testes, com uma mentalidade diferente, e que possam conduzir essa etapa de transição. Onde, como o mesmo aponta, ainda conviveremos por um longo tempo com as diversas formas de teste. (BdB – Imagine um mundo sem Bugs no Software)

Por fim, um dos slides afirma “Test is dead. Don’t take it literally, but take it seriously.”, traduzindo, “Teste está morto. Não leve isso literalmente, mas leve a sério.”. Logo, a palestra é uma alerta e não uma simples afirmação arrogante, que se julga acima de todos nós. Uma apresentação, que vale a pena ser vista com atenção, e que nos deve levar a refletir sobre os caminhos, que estamos seguindo, as oportunidades de aprendizado e de mudança que podemos levar a nossa área. Sejamos o agente dessas mudanças.

P.S. Todas as imagens utilizadas estão nos slides da apresentação, disponível aqui.

#TGIF – Desafio dos 30 dias

O #TGIF de hoje compartilha com vocês mais um vídeo do TED. Para quem ainda não conhece, trata-se de uma conferência que teve início em 1984 e busca conectar pessoas de três mundos: Tecnologia, Entretenimento e Design. No site encontramos palestras das mais diversas naturezas, conduzidas de maneira exemplar pelos palestrantes.

No vídeo de hoje, de apenas 3 minutos, Matt Cutts lança para todos nós um desafio simples: Tentar algo novo por 30 dias. Mudanças simples e pequenas, que podem fazer grandes diferenças em nossas vidas.

Nós do BdB já escolhemos nossos desafios para os próximos 30 dias, e vocês?