Vou cancelar minha conta do facebook… quer saber o(s) motivo(s)?

Quem me conhece ou acompanha alguns dos meus posts vai ver que o Facebook para mim é uma questão meio complicada. Quem acompanha o BdB também já deve ter visto alguns posts meus reclamando a respeito do facebook. Se quiser entender melhor esse post você pode primeiramente ler esses outros aquiaqui e aqui. Caso não

67037_474539079272861_1104199120_nqueira ler os posts antigos, tudo bem, você pode começar a ler por aqui mesmo.

Nem todos vão concordar com meus argumentos
Queria começar esclarecendo que o que estou falando aqui reflete apenas a minha opiniao sobre o assunto. Entao todos os pontos de vista sao pessoais, e nao refletem a opinao do blog.  A grande maioria dos argumentos aqui são a respeito de como utilizar da melhor forma e também o motivo pelo qual você utiliza. Provavelmente, algumas pessoas vão odiar esse post, outras pessoas vão se identificar, e outras até vão parar de ler antes de chegar nesse ponto.

Queria também ressaltar que meu objetivo com este post nao é fazer com que você cancele sua conta do facebook, mas talvez que você reflita um pouco sobre sua utilizacao e sobre os pontos que vou falar 🙂

O facebook tem muitos pontos positivos…
e ponto final! Sei do poder como ferramenta de rede social que é, a quantidade de dinheiro que movimenta através de seus anúncios, etc. Sei que cada vez mais criamos grupos, e até disciplinas de faculdade e assuntos mais “sérios” sao tratados e discutidos dentro do facebook. Além disso como ferramenta de marketing e divulgacao ele é espetacular. O próprio blog (Bytes Don’t Bite) tem uma página no facebook para divulgacao dos posts, e vai continuar tendo, pois é um ótimo canal de comunicacao. Talvez até, o facebook seja o bode expiatório no meu caso. E o cancelamento da minha conta simplesmente uma atitude em direcao ao movimento de DESCONECTAR-SE! Mas vamos aos motivos do cancelamento.

1- Meu tempo é muito precioso, aliás, o seu também é…
Acredito que todos nós temos vontade de investir nosso tempo em coisas que regularmente não fazemos como indivíduos (como ler mais livros, fazer exercícios, aprender uma nova lingua, aprender uma nova tecnologia, estudar para um concurso, etc…), e também como coletividades que somos (dar mais tempo para seus pais, mais tempo para seus filhos, para seus irmãos, se importar com os outros, fazer mais favores, escutar as pessoas, conversar, etc…).

Tudo isso demanda tempo, mas só temos 24 horas no dia, e visitar alguém ou algo do tipo pode tomar muito tempo. Conversar com seus amigos, fazer uma ligacão, mandar um email,  toma muito tempo. No entanto, gastamos uma quantidade CONSIDERÁVEL de HORAS no facebook diariamente (é óbvio que isso não vale para todo mundo, mas tem uma quantidade absurda de pessoas que vão se identificar).

Eu decidi que: Quero dar mais tempo para minha família, meus amigos, para as pessoas e para meus projetos pessoais.

2- A mudança de valores que vem junto com uma “curtida do facebook”…
Sabe aquela sensação que tínhamos antigamente quando recebíamos uma carta? Era muito legal, você sabia que alguém (que provavelmente se importava o suficiente com você para isso) tinha gastado o tempo dela para escrever algo para você. Tudo bem que o email veio ao mundo,  e substituiu praticamente por completo essa situação descrita a pouco. Mas, ainda hoje, a sensação de receber um email (destinado a você somente) é algo muito precioso (pelo menos para mim) e ainda dá uma sensação de satisfação muito grande.

É muito bom quando comentam e curtem nossas fotos e status no facebook. É legal ver que muitas pessoas curtem, e muitas dessas pessoas realmente se importam com conosco, se preocupam conosco, e procuram fazer com que a relacao de amizade vá além de um curtir. No entanto, para muitas outras pessoas aquele curtir é um resumo da relacao que se tem, a “consideração” que muitos demostram uns ao outros, hoje é um simples CURTIR na sua foto/status.

Eu decidi que: Não vou demonstrar minha amizade e meu carinho por alguém utilizando um simples curtir. Quero fazer a diferença na vida de verdade, e não no facebook.

3- Fora do facebook vamos perder muita coisa que acontece no dia-a-dia…
Primeiramente queria dizer que não tenho NADA importante acontecendo no facebook.

Além disso, eu possuo telefone celular, telefone fixo, email, whatsapp, linkedin, instagram, twitter, foursquare, skype, facetime, blog, slideshare, pinterest, etc… Isso que significa que se alguém quiser verdadeiramente entrar em contato comigo, não é pelo fato de eu não ter facebook que essa pessoa não vai conseguir entrar em contato.

Caso alguma delas tome mais meu tempo do que eu gostaria eu simplesmente vou cancelar minha conta também, ou pensar em alternativas que minimizem o problema.

Eu decidi que: Tudo que tirar meu tempo e não trouxer benefícios muito claros para mim eu vou tirar da minha vida.

4- Roda de amigos, todos eles de olho no celular…stock-footage-two-female-friends-with-mobile-phone-in-bar-outdoors-camera-stabilizer-shot
É muito triste ver isso, mas a gente faz parte disso e faz isso sem sentir. As pessoas são os bens importantes que temos na vida, e ainda assim estamos ao lado delas (nossa familia, amigos, etc) e simplesmente abaixamos a cabeça para checar e responder as notificações do facebook (ou qualquer outra app) no celular a cada 10 minutos. Ou simplesmente trocamos uma conversa real, para responder conversas virtuais no celular. Por esse motivo eu já tenho desinstalado o facebook do meu celular a um bom tempo, e não me arrependo nem um pouco. Talvez outras apps, como whatsapp, também sejam o motivo de trocarmos conversas e relacoes reais por virtuais.

Eu decidi que: Quando estiver com pessoas, não quero que o celular tenha maior atenção que as próprias pessoas

5-O facebook amplifica o alcance das nossas opinioes e pensamentos… Boas ou ruins…
Neste ponto, eu vou  usar um texto que li em um blog da Luciana Honorata nesse link e achei muito bom, e reflete exatamente o que penso sobre esse ponto.

“Antigamente, quando não havia internet, “todo mundo” ficava sabendo das catástrofes. Os desastres naturais, os acidentes aéreos, a enchente não sei de onde, o assassinato de Daniela Perez, a morte de Ayrton Senna… Todo mundo chorava, lamentava, comentava e criticava. As pessoas tinham suas opiniões formadas, mas elas ficavam restritas ao seu círculo social. Vizinhos, família, colegas de trabalho. Caso tivessem um comentário infeliz a fazer, deixavam uma marca negativa em seis, sete pessoas, e quando muito, (sendo bem pessimista) 20 ou 30 desafortunados os ouviam, mas isso não causava um efeito tão devastador na imagem de um grupo quanto nos dias de hoje. 

A internet, entretanto, facilitou a comunicação de um modo que potencializou o poder de influência das pessoas. Sites, blogs e redes sociais massificaram a opinião, e agora todo mundo diz o que pensa quando quer e bem entende sobre qualquer coisa, não na mesa do restaurante, para um público que se pode contar nos dedos da mão, mas para milhares de indivíduos, simplesmente quando decide responder ao sr. Facebook ‘ O que você está pensando?’ “

Como ela falou, sempre fomos desse jeito que somos agora,  a única diferenca é o alcance das nossas opinoes e comentários. Entre o pensamento e o teclado, acredito que exista uma distancia menor do que entre um pensamento e a boca. Agora temos “coragem” de escrever qualquer coisa no facebook. Coisa que nao teriamos “coragem” para dizer cara a cara com alguém, mas é tao fácil simplesmente escrever no facebook. É muito comum pessoas reclamando de TUDO, e “metendo o pau” em todo tipo assunto possível. É comum ver opinioes de pessoas que você nunca conhecia antes, e nao por nao terem tido contato suficiente, mas simplesmente porque o nível de “coragem” dessas pessoas ao publicar algo no facebook é muito alto. Diferentemente de uma conversa cara a cara.

Além disso,  a “coragem” aumenta pelo fato de nao precisarmos nos preocupar com o impacto de algo que falamos, quem nao gostou do que você falou que lhe bloqueie.

Eu decidi que: Quero evitar falar “besteiras” e “reclamacoes” para um público de milhares de pessoas sem me preocupar com o alcance real dessas palavras e com as consequencias disso. E nas redes sociais que ainda continuar participando quero ter cuidado com o que falo, e contar até 10 antes de compartilhar, postar, responder, rebater, curtir, etc.

7- E a privacidade?
Repare que eu ainda nao toquei no ponto da privacidade, que por sinal é muitíssimo discutido. Privacidade é algo que nao me preocupa muito pois ninguem é forcado a usar o facebook (ou qualquer outra rede social). Entao existe uma opcao simples para escapar dos problemas de privacidade do facebook: Parar de utilizar! Cancelar sua conta. Mas…. se você quiser utilizar e ainda assim manter um nível bom de privacidade você vai ter problemas sim, tenho certeza. Nao consigo pensar em nada na web que exponha tanto sua vida pessoal com o facebook. Se tiver algum outro servico ou app ou qualquer outra coisa que exponha tanto ou ainda mais que o facebook por favor me avisem.

6- Porque ainda daqui a 10 dias somente que vou cancelar minha conta no facebook?

O motivo disso é simplesmente porque pode ser que eu esteja errado, então se alguém me der motivos fortes o suficiente para não cancelar, eu posso até mudar de idéia. É importante salientar também que se eu julgar que por algum motivo o facebook é uma parte integral da minha vida que eu não posso viver sem ele eu simplesmente reativo minha conta (mas eu espero de verdade que isso não aconteça).

Anúncios

O facebook está piorando nossas vidas

CONTEXTO

Você também acha isso? ou não? Talvez você até ache que o facebook é muito legal pelo simples motivo que você pode encontrar as pessoas que você não tinha mais contato e parentes distantes não é mesmo?

Pois eu vou lhe dizer que você provavelmente está errado!! Ainda não é o momento de ficar com raiva de mim, eu nem entrei em detalhes nem justifiquei o porquê estou dizendo isso. Mas aqui vão os detalhes, e se você está mesmo interessado nisso é porquê você ama o facebook ou porquê você odeia (ou nenhum dois dois, você está somente curioso :P)! O texto ficou um pouco extenso, mas seria maravilhoso que você pudesse ler tudo e deixar sua opinião.

 CASO GERAL

Você está no facebook e reencontra e encontra muita gente que você conheceu no passado, gente que você gostava e também gente que você não gostava. Todos esses estarão lá marcando mais um número na sua lista de amigos. Além desses existem outros que você precisa fazer um esforço mental muito grande para lembrar quem são, e ainda existe, PASMEM, aqueles que a gente adiciona sem nem conhecer (não me pergunte o motivo).

Você tem então 100, ou 500 ou 1000 ou ainda 5000. O mais triste de tudo é que na vida real você tem uma roda de amigos de uns cinco ou dez amigos que você gosta, se importa e mantém contato regular. E dentre esses você tem um ou dois que você sabe que pode contar a qualquer momento e que são amigos pra toda hora. Você não acha isso interessante? ou será que a palavra melhor aqui seria triste?

CASO MUITO COMUM 1

Você adicionou algumas pessoas que estudaram com você a 15 (ou mesmo dois) anos atrás. Foi legal rever essa pessoa né? Mas e aí?? O que acontece agora??

Até onde me consta (e olhe que eu sou um usuário ativo do facebook, pelo menos até agora…) o que vai acontecer é o seguinte: Você vai começar a “curtir” algumas fotos e comentar algumas atualizações da pessoa, e vice-versa, a pessoa também vai muito provavelmente fazer isso com você. E PONTO FINAL. O relacionamento é limitado a isso, e esse é o assunto do próximo caso.

Você vai se encontrar, sair com essa pessoa, convidá-la pra sua casa, ou fazer uma ligação e conversar com ela? MUITO PROVAVELMENTE não!

CASO MUITO COMUM 2

Sabe aquela sensação que você tinha antigamente quando recebia uma carta? Era muito legal, você sabia que alguém (que provavelmente se importava o suficiente com você para isso) tinha gastado o tempo dela para escrever algo para você.

Tudo bem que o email veio aí e substituiu praticamente por completo essa situação que acabei de descrever. Mas ainda hoje, a sensação de receber um email (destinado a você somente) é algo muito precioso (pelo menos para mim) e ainda me dá uma sensação de alegria muito grande. No meio de tantas propagandas e correntes enviadas por email, receber um email destinado somente a você é coisa muito boa. Nesse caso alguém também gastou o tempo dela escrevendo algo para você, ou enviando fotos, ou algo do tipo (muito provavelmente pelo simples motivo que ela se importa com você e provavelmente isso é recíproco).

Não estou aqui para dizer que as pessoas pararam de se importar umas com as outras, o problema de hoje em dia é que existe uma ferramenta que nos encaminha cada vez mais na direção de pararmos de nos importar uns com os outros (como pessoas físicas que somos, e não virtuais). Essa ferramenta se chama CURTIR.

Quando você mora distante dos amigos e família (que é o meu caso), você começa a perceber que a quantidade de pessoas que curtem uma foto sua no facebook é muito grande. Até aí tudo bem, mas se você for comparar a quantidade de pessoas que curtem com a quantidade de pessoas que fazem uma ligação para você, ou mesmo que enviam um email para você procurando saber como você está, você vai ver que existe algo errado. Afinal, você tem 100 amigos que curtiram uma foto ou 2 que realmente se importam e procuram se comunicar com você?

E não vale dizer que: “Ah, acho que não ligam nem falam com as pessoas porque já vêem que elas estão bem pelo facebook!”. Isso para mim não cola de jeito nenhum.

CONCLUSÃO

Meu amigo leitor, se você chegou até aqui (sem pular nada do texto) você está de parabéns! 🙂 E eu gostaria de fazer uma recomendação para você. Se você gosta de alguém, e dá realmente valor a alguma pessoa, além de curtir a foto dessa pessoa no facebook, procure também saber como ela está, faça uma ligação, mande uma carta, mande um email, ou até mande uma mensagem privada no facebook mesmo. Mas, por favor, não deixem nossas relações se resumirem a meros clicks em um botão de CURTIR. Curta a vida fora do facebook.

PÓS-CONCLUSÃO

Ainda tenho outros casos muito comuns em mente, que pioram nossa vida. No futuro teremos outro post nessa direção, então se você gostou (ou se odiou) você precisa voltar aqui daqui a algum tempo.

#TGIF – Facebook = Inovação (até na Infraestrutura)

 

O Facebook cresce a cada dia, expandindo seu alcance na vida dos usuários. A empresa, que é exemplo de inovação em diversos seguimentos, nos mostra nesse vídeo, como alguns simples procedimentos internos podem ser reorganizados de maneira a diminuir os custos e facilitar a vida dos colaboradores.

Para ver mais fotos do ambiente de trabalho no facebook, clique aqui.

Agora você já pode acompanhar as novidades do BdB pelo Facebook, acesse e curta nossa página.

#TGIF – Dois passos para se livrar do vício das redes sociais

No título do post eu menciono redes sociais, e  se aplica a tudo que você pode imaginar: Facebook, Twitter, Foursquare, Orkut, Soundcloud, Youtube, Google+, MySpace, Flickr, Formspring, SlideShare ou qualquer outra dessas. Acredite, as pessoas se “viciam” realmente nessas cosias, você pode checar aqui. Algumas vezes simplesmente gastam mais tempo do que gostariam nesses sites e outras vezes realmente é uma coisa mais forte e que precisa de cuidados mais rigorosos para diminuir o vício.

Vou falar de mim, meu inimigo número 1 no momento é o facebook! Deixa eu explicar… O problema não é que eu ache o facebook ruim (apesar de ter alguns pontos negativos ao meu ver). O problema é que estava consumindo meu tempo mais do que eu gostaria, e acho que se chegou ao ponto de eu notar isso, eu preciso agir para mudar essa situação.

Bom então vamos lá aos 2 pontos que me levaram, e que espero possam também lhe levar, a um menor contato com o facebook (ou qualquer outra rede social que você acha que toma muito seu tempo):

  1. Praticamente todo mundo hoje em dia tem smartphone! E acho que todos eles tem App para o facebook (inclua aqui o nome da sua rede social favorita). Como é bom né?? Não!!! Ter essas apps no celular te faz ficar ligado o tempo inteiro no facebook, e isso não pode fazer bem! Então, finalmente, o primeiro ponto é: DESINSTALE! 🙂 É incrível como isso já te liberta, pelo menos essa foi a sensação que tive. PS. se você tem iPad ou outros tablets essa dica também se aplica!
  2. Tudo bem, no celular/tablet o facebook já está desinstalado, mas o que fazer com o meu computador que eu passo o dia inteiro na frente dele?? Existe um plugin/add-on que você pode instalar no seu navegador da internet (nesse caso o Chrome! Se você não usa o Chrome, comece a usar :D) e que controla seu tempo em determinados sites. O nome dela é STAY FOCUSED (traduzindo para o português é algo como “Tenha Foco!”) e você pode fazer o download aqui. Você instala essa extensão e diz quais sites ele deve controlar, e aí por padrão você tem 10 minutos por DIA (claro que você pode configurar, mas… ) para gastar nesses sites, depois disso ele bloqueia o acesso a esses sites. Eu achei perfeito, e realmente eu chego ao ponto que todo dia essa extensão bloqueia o acesso ao facebook, e quando isso acontece eu fico FELIZ! Acredite!

Se você achou essas dicas úteis, se você tem outras dicas como essas ou se você achou uma besteira o que eu escrevi acima, deixa teu comentário!

Google+ é uma cópia do facebook?

Mais do que nunca, o futuro das redes sociais está incerto. Quem vai sobreviver? Qual rede social vai prevalecer?

Nos últimos dias o Google lançou o tão falado Google+ (Google mais em português e Google plus em inglês). No início só tinham acesso as pessoas convidadas, mas agora o acesso já está liberado e todos aqueles que quiserem entrar na nova rede social podem assim fazer.

O objetivo do google é conseguir que alguns (ou muitos) milhões de usuários que acessam o facebook, comecem a acessar o google+ (e talvez deixem o facebook). Com isso o google começa a dominar diversos campos da Web, como as redes sociais (google+), vídeos na web (youtube), fotos na internet (picasa), Webmail (gmail), chat online (gtalk), Busca (google), edição de documentos (google docs), etc…

Perceba o que está acontecendo, já vimos esse filme antes. Hoje em dia uma GRANDE parte dos usuários de computador pessoal utilizam o Internet Explorer, Msn messenger, Word, Excel, Powerpoint simplesmente porque eles vêm (quase) todos juntos em um pacote chamado Windows. O que leva a acreditar que uma boa parte também começará a utilizar o google+ pelo motivo do google ser o dono de várias outras ferramentas online e integrar facilmente todas elas.

Claro que isso tudo é especulação, vale lembrar que o google já lançou antes apostas no ar na intenção de concorrer com redes como Twitter e Facebook. Essas apostas foram o Buzz e o Wave e ambos não deram tão certo. Mas… aparentemente o google aprendeu a lição e resolveu “copiar” os segredos do facebook e você que está acostumado ao facebook não vai estranhar muito a interface e funcionalidades do google+, além disso o google+ “melhorou” algumas funcionalidades em relação ao facebook.

Além disso vale lembrar que migrar de uma rede social para outra não é tão simples, temos o exemplo do facebook e do orkut. Ainda hoje o orkut cresce no Brasil, apesar do facebook também crescer. Muitos mudam, outros resistem a essa mudança.

Mas no que depender dos combatentes essa briga está apenas começando. Já foi criada uma aplicação pro facebook para exportar os amigos do facebook para o google+, e o facebook bloqueou essa exportação (mas não se pronunciou a respeito). O Facebook vai fazer tudo o que puder para manter sua base de 750 milhões de usuários e crescer cada vez mais, e o google vai tentar comer uma fatia desse bolo.

Ps. o curioso é ver Mark Zuckerberg ser a pessoa com mais seguidores do Google+ 😛

Em quem você aposta? Será que vão surgir outros players de peso?

(um agradecimento a Vinicius Garcia (@vinicius3w), Diego Delgado (@dbdelgado), Felipe Ferraz (@felipesferraz) e Alexandre Álvaro (@alealvaro) pelas contribuições na discussão a esse respeito no twitter)

O Futuro das Redes Sociais: Qual a próxima revolução?

Primeiro de tudo, não sou um pesquisador da área de redes sociais, e o que vou falar aqui é puramente minha percepção a respeito das redes sociais e do futuro delas.

A internet era “individual”, até que a revolução dos serviços de chat começaram a fazer as massas se conectarem (mIRCICQ,  Serviços de bate-papo nos sites, etc). Nesse momento você não estava mais só, você tinha oportunidade de falar, conversar e conhecer milhares de pessoas espalhadas pelo mundo.

Esses serviços de chat evoluiram para serviços de chat via texto  mais elaborados (MSN Messenger, gtalk, Yahoo messenger, etc).  A partir daí a revolução para comunicação via voz (skype, gtalk por voz, etc). Logo em seguida, uma rápida evolução também para comunicação com vídeo.

As pessoas estavam cada vez mais conectadas, mas as “conexões” ainda eram basicamente a dois, ou em pequenos grupos, no caso dos chats. Foi aí onde começou a grande a sacada, reunir todas as pessoas em uma rede social, aonde você pudesse estar relacionado a diversos outros “amigos”, participar de comunidades voltadas para um tema específico, trocar informações com diversas pessoas ao mesmo tempo, compartilhar fotos e vídeos com todos os seus conhecidos, achar pessoas que você não tinha contato a muito tempo (por meio da recomendação). Maravilha!

Começaram a surgir então ferramentas com esse foco, conectar pessoas a diversas outras, neste ambiente altamente colaborativo, onde cada um contribuiria para a submissão de informação, dados e conteúdo em geral. As primeiras iniciativas de sucesso foram o Orkut, MySpace e por aí vai. Até que chegou o Facebook, abalando! Praticamente nessa mesma época, começaram a surgir (e ainda estão surgindo) também redes socias com objetivos mais específicos como o LinkedIn (para conexões profissionais), Last.fm (para compartilhar e escutar músicas e gostos musicais), Votizen (rede social em desenvolvimento com foco político para o povo expressar suas idéias e feedbacks), Flicker para compartilhamento de fotos entre conexões, Foursquare que é uma rede social que envolve geolocalização para fazer checkins (utilizando a app mobile tanto para android quanto para iphone) nos lugares que você frequenta, dentre diversas outras.

E aí veio o Twitter! E o twitter chegou e “pegou”. O twitter cresceu tanto que até o mercado em volta do twitter cresceu com ele (clientes de twitter, outras redes sociais que se integram a API que o twitter disponibiliza, etc).

Então só resta uma questão:

Qual vai ser o futuro das redes sociais? Qual a próxima revolução?

Todo esse histórico das redes sociais é importante pois entendendo o passado é que se constrói o futuro.

  1. Então uma coisa é certa, a próxima revolução vai envolver redes sociais. Mas o que será exatamente?
  2. Dado o sucesso do twitter, podemos concluir talvez que a próxima revolução também vai envolver comunicação em larga escala.
  3. Dado o sucesso do foursquare,  a próxima revolução vai envolver geolocalização.
  4. Dado o sucesso das aplicações mobile, a próxima revolução vai estar no seu celular, no seu tablet e também no seu browser, e não apenas em um só lugar.

Definitivamente, os que sairem na crista da onda da próxima revolução das redes sociais vão ganhar dinheiro e mercado e serão copiados por centenas de pessoas e empresas.

Será que estamos seguindo as pistas certas?