Copa do Mundo de Testes de Software – Inscrições Abertas

No mês passado apresentamos a Copa do Mundo de Testes aqui no blog. E hoje, recebi a notícia que as inscrições para a primeira copa do mundo de testes de software estão oficialmente abertas.  Abaixo, segue o resumo das principais informações.

Equipes:

Podem possuir de 1 a 4 integrantes. Não há limite de equipes por empresa.

Fase de Qualificação Continental:

Na primeira etapa, as disputas serão realizadas online. E apenas uma equipe será classificada por continente.

Fase Final:

Realizada presencialmente, durante o evento Agile Testing Days.

Critérios de Pontuação:

Os critérios não foram modificados, mantendo as informações do post anterior:

Diferentes aspectos levados em consideração, como: melhor bug report, melhor report de testes, bug mais valioso, etc.

O foco principal será o aspecto funcional de determinadas aplicações indicadas pelos avaliadores no início de cada etapa, podendo existir um tempo adicional alocado para aspectos não-funcionais.

O tempo para validação da aplicação sugerida será de aproximadamente 3 horas, podendo haver tempo adicional para aspectos não-funcionais.

Premiação:

Na etapa de classificação os vencedores continentais receberão:

– Entradas para os 3 dias do Agile Testing Days

– Passagens aéreas

– Shuttle aeroporto/hotel

– Hospedagem de 5 diárias

– Cópias autografadas do novo livro de Lisa Crispin e Janet Gregory 

Por fim, os grandes vencedores da etapa final receberão:

2014-03-11_0805

Anúncios

Link – Episódio de True Detective derruba HBO GO

Link – Episódio de True Detective derruba HBO GO

Sabemos ou pelo menos deveríamos saber, da importância dos testes de performance quando tratamos de aplicações Web. O tema que inclusive já abordamos aqui (Entendendo os testes de performance) é frequentemente deixado em segundo plano, o que acaba causando problemas graves, como o que vi nas notícias publicadas ontem e hoje sobre o HBO GO.

HBO GO Crashes

É impressionante a quantidade de aplicações web disponíveis, que continuam decepcionando seus usuários, pois de nada adianta estarem “funcionalmente” corretas se a medida que a quantidade de acessos cresce o serviço deixa de responder a tempo ou mesmo não responde. No exemplo do link sobre a HBO GO, como pode um serviço que custa o dobro do Netflix nos Estados Unidos conseguir apresentar tal nível de qualidade aos consumidores? Quanto irá custar a HBO essa publicidade negativa?

Copa do Mundo de Testes de Software

A copa do mundo está chegando! E em 2014 não há dúvidas que esse será um dos principais tópicos discutidos em todos os lugares e mídias. Mas não é esse o tema desse post, afinal esse não é um blog sobre futebol.

Fiquei sabendo nesse final de semana a respeito da Copa do Mundo de Testes de Software. Isso mesmo que você acabou de ler, em 2014 teremos uma competição para descobrir os melhores testadores do mundo.

Ainda não temos as informações completas sobre como o evento vai funcionar, abaixo destaco alguns dos pontos já divulgados na página oficial.

Quem pode participar?

Testadores de qualquer localidade, formando equipes de 2 a 5 pessoas.

Como irá funcionar?

A competição será realizada em 2 etapas:

  • Fase de Classificação: Conduzida online e por continente, onde apenas o time vencedor de cada continente estará classificado para a etapa final.
  • Etapa Final: Realizada durante o evento Agile Testing Days 2014.

O que será analisado? 

Os critérios de pontuação durante todas as etapas levarão diferentes aspectos em consideração, como: melhor bug report, melhor report de testes, bug mais valioso, etc.

O foco principal será o aspecto funcional de determinadas aplicações indicadas pelos avaliadores no início de cada etapa, podendo existir um tempo adicional alocado para aspectos não-funcionais.

Inscrições:

Na página do evento há um formulário com nome e e-mail para os interessados no evento.

##UPDATE##

Prêmios:

Premiação da competição já foi divulgada, e a equipe vencedora levará 3.000,00 EUR.

 

Com certeza parece uma boa oportunidade para praticar suas habilidades como analista de testes e conhecer outros profissionais da área. Já solicitei mais detalhes para a inscrição de minha equipe na página do evento, e você?

Onde encontrar material sobre testes de software?

No primeiro post de 2014, compartilho com vocês uma lista com alguns dos blogs/sites, perfis do twitter e canais do You Tube, que acompanho (ou tento acompanhar) para me manter atualizado sobre testes de software.

Blogs/Sites:

Software Testing Club      Ministry of testing      Jmeter.com.br

Outros:

  

     

Sentiu falta de algum? Pode adicionar nos comentários =D

Aumentando a Velocidade da Execução dos Testes com Selenium

Quando falamos de automação de testes um dos principais benefícios citados é a possibilidade de obtermos a execução de um ciclo completo de execução num espaço de tempo bem inferior aos testes manuais. No entanto, quando começamos a nos aprofundar no assunto vemos que existem diversas práticas que podem ser utilizadas na codificação dos testes para permitir uma eficiência ainda maior.

Uma das possibilidades para o aumento da velocidade de execução é a utilização dos Headless Browsers, tema que inclusive foi abordado pelo Elias Nogueira, do excelente blog Sem Bugs, em sua apresentação sobre CasperJS. Resumindo numa única frase o Headless Browser é um navegador sem a interface gráfica.

Estudando sobre o assunto vi que já existe uma implementação do WebDriver para Selenium, que utiliza o PhantomJS e de maneira bem simples permite que possamos nos beneficiar da utilização de um headless browser. O projeto chamado Ghost Driver funciona perfeitamente e sua integração ao seu projeto é extremamente fácil utilizando o Maven.

Para adicioná-lo ao seu projeto basta seguir as orientações do projeto no github e se ainda tiver dúvidas basta seguir as orientações do post no blog Assert Selenium do Manoj Kumar. Além disso, a excelente apresentação abaixo, realizada pelo Ivan de Marino, um dos responsáveis pelo projeto, resume bem os benefícios da utilização e as orientações básicas.

 

Fiz um teste rápido num dos meus projetos e o ganho de velocidade foi significativo, como exemplificado pela imagem abaixo:

Comparação

Ainda não conhece o Selenium? Em outubro estarei ministrando um curso presencial no CESAR.EDU, onde abordaremos os conceitos básicos para utilização do Selenium WebDriver apoiado por diversas práticas em sala, segue o link para mais informações:

banner_curso2

Validação de layout automatizada com Selenium

Validação de layout nos diferentes browsers é um problema comum em diversos projetos de desenvolvimento de software. Afinal, assegurar comportamento e aspectos visuais adequados em diversas combinações de browser/SO é algo que demanda bastante tempo.

Durante essa apresentação na SeleniumConf 2013, Frank O’Hara apresenta um solução, que em conjunto com o Selenium, permite de maneira automatizada indicar erros de layout na aplicação.

Ainda não tive a oportunidade de utilizar a solução, mas parece bem simples associá-la ao Selenium.

Links do projeto:

RedGlass github

DomReactor github

DomReactor

E vocês ? Conhecem alguma outra proposta de automação para validação de layout? 

O que fazer quando o defeito está no teste ?

Contribuir para o aumento do nível de confiança, prevenir e encontrar defeitos estão entre os principais objetivos que queremos alcançar quando testamos um software. Porém, para atingirmos essas metas não existe uma simples receita de bolo e precisamos estar sempre atentos para maximizar as nossas chances de entregarmos constantemente software de qualidade e que atenda às necessidades dos clientes.

Apesar de nossos esforços, invariavelmente temos que lidar com os defeitos escapados, que normalmente implicam em stress, re-trabalho e desgaste na relação com o cliente. Em meio ao problema, uma das primeiras ações que temos é a análise da causa raiz, ou seja, identificar o porquê do defeito ter ocorrido e consequentemente do mesmo não ter sido identificado nas etapas anteriores de validação.

Diversos podem ser os motivos para a falha na detecção do defeito, por exemplo:

– Cenário de teste não estava coberto.

– Teste existia, mas não foi priorizado para o ciclo de execução.

– Teste existia, foi priorizado, porém não foi executado corretamente.

– Teste existia, foi priorizado, executado corretamente, porém diferenças de ambiente não permitiram a detecção da falha.

– Etc.

You are doing it wrong

Porém, ainda há um outro motivo, que talvez seja um dos mais frustrantes – O teste existe, mas está errado.

Quando isso acontece, independente de planejarmos corretamente, o teste, seja ele manual ou automático, nunca nos trará o resultado correto e a falha inevitavelmente aparecerá em produção. Nesses casos, ainda temos como dificuldade adicional o fato de que a re-execução do nosso teste não ajudará na reprodução do erro, podendo inclusive gerar ruído na comunicação e dificuldades na identificação da causa do problema e consequentemente em sua correção.

Identificar testes com defeito não é algo simples e corremos o risco de executá-lo diversas vezes e confiarmos em resultados enganosos. Para tentar minimizar esse tipo de situação, podemos realizar algumas ações:
– Revisar os testes existentes

– Se forem testes manuais, mudar o responsável pela execução

– Aprofundar-se no funcionamento de mocks e stubs utilizados para teste

– Conhecer as limitações das ferramentas utilizadas

– Revisar as pré-condições e o ambiente de validação

E você já enfrentou o problema de ter falhas escapadas devido a testes defeituosos? Que ações tomou para tentar evitar que o problema se repetisse?