Os números de 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

4,329 films were submitted to the 2012 Cannes Film Festival. This blog had 32.000 views in 2012. If each view were a film, this blog would power 7 Film Festivals

Clique aqui para ver o relatório completo

Agilidade é Ritmo!

Assitir palestras de alguns gurus é sempre interessante! Mesmo quando a palestra não está legal, em algum momento você pode escutar alguma frase ou alguma explicação que pode mudar sua vida. Eu diria que é mais ou menos como um atacante de futebol que é artilheiro, mas está jogando uma péssima partida, mas o técnico o deixa em campo pois a qualquer momento ele pode fazer um gol!

Dito isto, eu estava em uma longa palestra com um artilheiro, mas a palestra não estava tão interessante. Mas em determinado momento, falando sobre agilidade,  ele disse: “Agile is about rhythm!” Essa frase então chamou minha atenção e fiquei atento a explicação do que isso significava, e fez sentido pra mim.

Se você participa de um projeto que tem um determinado ritmo como por exemplo entregar um release do software a cada 6 meses, você tem “muito tempo” para pensar/fazer/detalhar requisitos, “muito tempo” pra implementar e por aí vai. É óbvio que você vai terminar fazendo mais do que o necessário para o momento e talvez não consiga finalizar tudo, além de colher o feedback muito tarde (em 6 meses tudo pode mudar).

No entanto, se você tem um ritmo de fazer um release por mês, você tem menos tempo pra focar em vários requisitos, por isso você só seleciona alguns deles (os mais importantes do ponto de visto do cliente), você nao tem tanto tempo pra discutir requisitos em um nível de detalhes muito aprofundado (a  não ser que realmente seja preciso) e você não tem tempo para perder tempo com reuniões sem sentido e etc, então você foca em desenvolver aquilo que tem pra ser desenvolvido de forma a receber feedback o mais rápido possível e mudar o mais rápido possível (antes que o custo da mudança seja muito caro ou inviável).

Ah, acho que tem um cenário pior do que os dois que apresentei, que é o caso de você não ter ritmo nenhum!

E você o que acha? Qual o ritmo que faz mais sentido para você ou para sua empresa?

O fator ônibus *

O post de hoje é simples e curto mas apresenta um conceito que é muito importante no dia-a-dia das empresas e dos projetos (principalmente de software, mas não necessariamente se limita a software).

Já participou de algum projeto onde uma ou talvez duas pessoas possuiam todo o conhecimento sobre o projeto? Acho que não é muito difícil isso acontecer, eu mesmo já participei de alguns. Alguns onde outra pessoa tinha todo o conhecimento acerca de um projeto, e outros onde eu mesmo tinha o conhecimento “concentrado” em mim (não porque eu queria, mas por conta das circunstâncias).

O fator ônibus * (do inglês bus factor), significa a quantidade de pessoas, que se forem atropeladas por um ônibus, farão o projeto desandar, ou até mesmo inviabilizar a continuidade do projeto. É óbvio que quanto maior essa medida melhor, pois dificilmente 10 pessoas são atropeladas por um ônibus no mesmo momento.

Moral da história: Se o seu projeto tem o fator ônibus igual a 1 ou 2, você corre sérios perigos! Então corra atrás, compartilhe o conhecimento, treine as pessoas, sugue o que puder sugar dos que tem mais conhecimentos, pergunte, leia, converse e se informe para o bem do seu projeto e da sua equipe!

* Observação: Vale a pena lembrar que o fator ônibus não significa ser literalmente atropelado por um ônibus. Ser atropelado por um ônibus pode significar: Algum membro da equipe conseguir um outro emprego, alguém sair de licença maternidade, alguém decide mudar o estilo de vida, alguém pedir demissão, alguém simplesmente sair de férias por 1 mês (parece absurdo né?), ou realmente alguém for atropelado mesmo por um ônibus 😛

O facebook está piorando nossas vidas

CONTEXTO

Você também acha isso? ou não? Talvez você até ache que o facebook é muito legal pelo simples motivo que você pode encontrar as pessoas que você não tinha mais contato e parentes distantes não é mesmo?

Pois eu vou lhe dizer que você provavelmente está errado!! Ainda não é o momento de ficar com raiva de mim, eu nem entrei em detalhes nem justifiquei o porquê estou dizendo isso. Mas aqui vão os detalhes, e se você está mesmo interessado nisso é porquê você ama o facebook ou porquê você odeia (ou nenhum dois dois, você está somente curioso :P)! O texto ficou um pouco extenso, mas seria maravilhoso que você pudesse ler tudo e deixar sua opinião.

 CASO GERAL

Você está no facebook e reencontra e encontra muita gente que você conheceu no passado, gente que você gostava e também gente que você não gostava. Todos esses estarão lá marcando mais um número na sua lista de amigos. Além desses existem outros que você precisa fazer um esforço mental muito grande para lembrar quem são, e ainda existe, PASMEM, aqueles que a gente adiciona sem nem conhecer (não me pergunte o motivo).

Você tem então 100, ou 500 ou 1000 ou ainda 5000. O mais triste de tudo é que na vida real você tem uma roda de amigos de uns cinco ou dez amigos que você gosta, se importa e mantém contato regular. E dentre esses você tem um ou dois que você sabe que pode contar a qualquer momento e que são amigos pra toda hora. Você não acha isso interessante? ou será que a palavra melhor aqui seria triste?

CASO MUITO COMUM 1

Você adicionou algumas pessoas que estudaram com você a 15 (ou mesmo dois) anos atrás. Foi legal rever essa pessoa né? Mas e aí?? O que acontece agora??

Até onde me consta (e olhe que eu sou um usuário ativo do facebook, pelo menos até agora…) o que vai acontecer é o seguinte: Você vai começar a “curtir” algumas fotos e comentar algumas atualizações da pessoa, e vice-versa, a pessoa também vai muito provavelmente fazer isso com você. E PONTO FINAL. O relacionamento é limitado a isso, e esse é o assunto do próximo caso.

Você vai se encontrar, sair com essa pessoa, convidá-la pra sua casa, ou fazer uma ligação e conversar com ela? MUITO PROVAVELMENTE não!

CASO MUITO COMUM 2

Sabe aquela sensação que você tinha antigamente quando recebia uma carta? Era muito legal, você sabia que alguém (que provavelmente se importava o suficiente com você para isso) tinha gastado o tempo dela para escrever algo para você.

Tudo bem que o email veio aí e substituiu praticamente por completo essa situação que acabei de descrever. Mas ainda hoje, a sensação de receber um email (destinado a você somente) é algo muito precioso (pelo menos para mim) e ainda me dá uma sensação de alegria muito grande. No meio de tantas propagandas e correntes enviadas por email, receber um email destinado somente a você é coisa muito boa. Nesse caso alguém também gastou o tempo dela escrevendo algo para você, ou enviando fotos, ou algo do tipo (muito provavelmente pelo simples motivo que ela se importa com você e provavelmente isso é recíproco).

Não estou aqui para dizer que as pessoas pararam de se importar umas com as outras, o problema de hoje em dia é que existe uma ferramenta que nos encaminha cada vez mais na direção de pararmos de nos importar uns com os outros (como pessoas físicas que somos, e não virtuais). Essa ferramenta se chama CURTIR.

Quando você mora distante dos amigos e família (que é o meu caso), você começa a perceber que a quantidade de pessoas que curtem uma foto sua no facebook é muito grande. Até aí tudo bem, mas se você for comparar a quantidade de pessoas que curtem com a quantidade de pessoas que fazem uma ligação para você, ou mesmo que enviam um email para você procurando saber como você está, você vai ver que existe algo errado. Afinal, você tem 100 amigos que curtiram uma foto ou 2 que realmente se importam e procuram se comunicar com você?

E não vale dizer que: “Ah, acho que não ligam nem falam com as pessoas porque já vêem que elas estão bem pelo facebook!”. Isso para mim não cola de jeito nenhum.

CONCLUSÃO

Meu amigo leitor, se você chegou até aqui (sem pular nada do texto) você está de parabéns! 🙂 E eu gostaria de fazer uma recomendação para você. Se você gosta de alguém, e dá realmente valor a alguma pessoa, além de curtir a foto dessa pessoa no facebook, procure também saber como ela está, faça uma ligação, mande uma carta, mande um email, ou até mande uma mensagem privada no facebook mesmo. Mas, por favor, não deixem nossas relações se resumirem a meros clicks em um botão de CURTIR. Curta a vida fora do facebook.

PÓS-CONCLUSÃO

Ainda tenho outros casos muito comuns em mente, que pioram nossa vida. No futuro teremos outro post nessa direção, então se você gostou (ou se odiou) você precisa voltar aqui daqui a algum tempo.

#Vagas – Stefanini – Desenvolvedor de Software, DBA, PL/SQL

 É com prazer que o BdB  continua  a parceria com a área  de Talent Acquisition (que é a área responsável por recrutamento e seleção) da Stefanini. Lembrando sempre que as vagas e oportunidades que forem surgindo vão ser divulgadas aqui no BdB para que você possa aproveitar e se candidatar (caso interesse).

Interessados enviar currículo para dbarcelos@stefanini.com especificando no campo “assunto” com o código da vaga.

Desenvolvedor Java JR/PL/SR (cód. 130602)
Requisitos: Experiência em desenvolvimento Java. Bons conhecimentos em PL / SQL, design e padrões de projetos. Desejável conhecimentos em weblogic, webservices, Soa  e certificação. Inglês minimo intermediário(fala, leitura, escrita).
Atividades: Para trabalhar com manutenção, melhorias (novas aplicações ou migração de tecnologia) e desenvolvimento de sistemas em Java em projetos internacionais, compostos por times distribuídos geralmente no Brasil, Estados Unidos, Índia, Malásia, Japão, Rússia e outros.
Remuneração: de acordo com o perfil profissional
Vagas: 5
Local de trabalho: Porto Alegre/RS

Project Manager Júnior (cód. 1306024)
Requisitos: Experiência com liderança de equipes, distribuição e controle de tarefas, conhecimento da ferramenta MS Project. Inglês Fluente.
Atividades: Atuar em  projetos internacionais (times globais).
Remuneração: de acordo com o perfil profissional
Vagas: 1
Local de trabalho: Porto Alegre/RS

Analista de Testes PL/SR (cód. 130606)
Requisitos: Experiência em teste de software funcional e análise de requisitos e de especificações técnicas. Desejável experiência em teste automatizado. Conhecimento em Banco de Dados, preferencialmente SQL Server, e linguagem SQL. Inglês em nível mínimo intermediário.
Atividades: testes funcionais em projetos internacionais (times globais).
Remuneração: de acordo com o perfil profissional
Vagas: 3
Local de trabalho: Porto Alegre/RS

Desenvolvedor  COBOL  SR (cód. 130608)
Requisitos: Sólida experiência em desenvolvimento Cobol. Conhecimentos em SQL.
Atividades: manutenção e desenvolvimento de sistemas em projetos internacionais (times globais).
Escolaridade: Desejável superior completo ou em andamento em Ciências da Computação, Sistemas da Informação ou afins.
Remuneração: aberta a negociação
Local de trabalho: Porto Alegre/RS.
Vagas: 6

Desenvolvedor BI Pleno (cód. 130674)
Requisitos: Conhecimento/experiência em alguma ferramenta de Reporting (Ex: Business Objects; MicroStrategy, OBIEE, etc).  Inglês avançado ou fluente.
Atividades: Desenvolvimento com forte atuação em PL/SQL (queries) e Reporting.
Escolaridade: Desejável Superior completo ou em andamento em Ciências da Computação, Sistemas de Informação ou afins
Remuneração: aberta a negociação
Local de Trabalho: Porto Alegre/RS
Vagas: 1

Desenvolvedor Peoplesoft SR (130629)
Requisitos: Inglês avançado a fluente; conhecimento em PeopleCode, PeopleSoft, PeopleTools; Oracle, SQL.
Atividades: Desenvolvimento e análise em projetos internacionais (Times Globais).
Escolaridade: Superior completo em Ciências da Computação, Sistemas de Informação ou cursos afins.
Remuneração: aberta a negociação.
Local de Trabalho: Porto Alegre/RS.
Vagas: 1

Consultor DBA Oracle SR (130609)
Requisitos: Comandos básicos de Linux, Arquitetura Oracle 10g. 11gR1 e 11gR2; Oracle RAC e Dataguard; Oracle ASM; Oracle Grid Control. Inglês avançado.
Atividades: Atuação na Migração de Storage, gerenciamento de discos, monitoramento, etc.
Escolaridade: Superior completo ou em andamento e, Sistemas de Informação ou afins.
Remuneração: aberta a negociação
Local de Trabalho: Porto Alegre/RS
Vagas: 1

Desenvolvedor PL/SQL:  JR/PL/SR (130603)
Requisitos: Experiência mínima de dois anos na função, Inglês intermediário.
Atividades: Desenvolvimento em PL/SQL em projetos internacionais (Times Globais).
Escolaridade: Superior completo ou em andamento em Sistemas de Informação ou afins.
Remuneração: aberta a negociação.
Local de Trabalho: Porto Alegre/RS.
Vagas: 5

#TGIF – Quer aprender a tocar guitarra?

Quem não gostaria de aprender a tocar guitarra? Então você precisa dessa guitarra: GTar!  A GTar possui um dock onde o iPhone é acoplado.

A GTar é elétrica e não necessita de cabos para funcionar. Seu corpo é feito em madeira e as cordas são do mesmo material de uma guitarra verdadeira. No entanto a afinação do instrumento não faz diferença na sonoridade do mesmo, uma vez que o som fica a cargo do iPhone e da acústica da guitarra. As primeiras guitarras serão entregues aos compradores a partir de setembro, uma vez que a empresa já atingiu o valor necessário para iniciar a produção. Segundo a startup cada gTar custará na faixa dos US$ 450.

#Vagas – Stefanini – Desenvolvimento de Software

 É com prazer que o BdB  continua  a parceria com a área  de Talent Acquisition (que é a área responsável por recrutamento e seleção) da Stefanini. Lembrando sempre que as vagas e oportunidades que forem surgindo vão ser divulgadas aqui no BdB para que você possa aproveitar e se candidatar (caso interesse).

Interessados enviar currículo para talentosrs@stefanini.com especificando no campo “assunto” com o código da vaga.

Analista De Sistemas JR(Cod. 011)
Requisitos: experiência com criação de requisitos de sistemas a partir de requisitos de negócios. Inglês Fluente.
Remuneração: de acordo com o perfil profissional
Vagas: 1
Local de trabalho: Porto Alegre/RS

Desenvolvedor Java JR/PL(cod. 002)
Requisitos: Experiência em desenvolvimento Java. Bons conhecimentos em PL / SQL, design e padrões de projetos. Desejável conhecimentos em weblogic, webservices, Soa e certificação. Inglês minimo intermediário(fala, leitura, escrita).
Atividades: Para trabalhar com manutenção, melhorias (novas aplicações ou migração de tecnologia) e desenvolvimento de sistemas em Java em projetos internacionais, compostos por times distribuídos geralmente no Brasil, Estados Unidos, Índia, Malásia, Japão, Rússia e outros.
Remuneração: de acordo com o perfil profissional
Vagas: 1
Local de trabalho: Porto Alegre/RS

Project Manager Júnior (cod. 024)
Requisitos: Experiência com liderança de equipes, distribuição e controle de tarefas, conhecimento da ferramenta MS Project. Inglês Fluente.
Atividades: Atuar em projetos internacionais (times globais).
Remuneração: de acordo com o perfil profissional
Vagas: 1
Local de trabalho: Porto Alegre/RS

É melhor focar no problema? ou na solução?

Cabra-cega – Imagem Retirada de http://fadadacaixinhademusica.blogspot.de/

Cabra-cega é uma brincadeira de criança onde alguém coloca uma venda nos olhos e fica com uma vara na mão para tentar acertar um vaso de barro (cheio de doces e gostosuras) e quebrá-lo, dessa forma não só você ganha os doces, quanto todos ao seu redor tb correm para os doces e assim todos saem ganhando! Não sei no restante do Brasil, mas pelo menos em Recife essa é uma brincadeira bem comum. O detalhe dessa brincadeira é que todos os outros ao seu redor ficam dando dicas apra vocês chegar mais perto, e eventualmente acertar o vaso.

Trazendo isso para nossa realidade de TI, um ponto que venho percebendo com uma certa frequência  é que geralmente estamos fechando projetos e contratos onde nosso cliente chega até nós com uma “solução” para o problema dele, e nós geralmente vamos direto atacar essa pseudo-solução! Isso acontece mais frequentemente em casos onde o cliente tem um certo conhecimento de TI, de desenvolvimento de software, então ele já chega com a solução bolada na sua cabeça! E como cada vez mais temos gente que entende [um pouco que seja] de TI, temos essa situação acontecendo cada vez mais.

Me sinto um pouco jogando cabra-cega. Estamos lá, escutando as dicas e as direções dos outros, mas não sabemos exatamente ONDE está o problema! Estamos com uma venda nos olhos tentando caminhar na direção que os outros estão gritando! E eis que chega o grande conselho desse post (que até parece um pouco óbvio):

Tire a venda dos olhos!!

Faça isso, por favor! Procure entender sempre o problema que está por trás de uma solução proposta, entenda o porquê por trás daquilo e procure identificar outras possíveis saídas para aquele problema. Talvez a solução proposta inicialmente pelo cliente seja realmente a melhor, mas talvez seja a pior também. E você só vai saber se tirar a venda dos olhos! TI é pensar! Muitas vezes somos pagos não para implementar algo para o cliente, mas para PENSAR na situação dele e identificar saídas viáveis!

Vale salientar que isso se aplica a diversos contextos dentro do desenvolvimento de projetos, e ainda mais, se aplica a diversas outras áres além de TI!

#TGIF – Computação nas nuvens atrapalha?? #Humor

O BdB abordou nos últimos posts alguns assuntos relacionados com computação nas nuvens (aqui e aqui)! E para fechar esta semana com uma pitada de humor, vamos ver como a Computação Nas Nuvens também pode atrapalhar a vida de alguns! 😛

Agora você já pode acompanhar as novidades do BdB pelo Facebook, acesse e curta nossa página.