#TGIF – Armazenamento na nuvem – qual o melhor custo benefício ?

Todos perceberam que o que se fala nos últimos dias foi o lançamento do Google Drive, e como a maioria dos produtos que a google lança causa um rebuliço nos concorrentes, a Microsoft por exemplo reorganizou seu serviço chamado Skydrive. Mas não estamos aqui para falar sobre essas novidades, até porque todo mundo já esta sabendo e se não sabe pergunte ao sei amigo nerd.

Estamos aqui para resumir quais serviços mais conhecidos no mundo de armazenamento da nuvem e detalhes de cada um deles inclusive com a média de preço. Sem mais delongas, vocês podem conferir a tabela que criamos abaixo.

Clique para ampliar

O melhor custo benefício pode variar de pessoa para pessoa.  Por exemplo, para um usuário que trabalha com arquivos muito grandes não vale a pena contratar o serviço da Box mesmo ela possuindo o preço mais barato por GB. Então analise a nossa tabela e escolha a melhor opção para você.

Leia, também, outros artigos já publicados na série:A série – Thank God It’s Friday ou #TGIF – aborda sempre um conteúdo menos técnico, mas que ainda assim possa contribuir com o seu crescimento pessoal e profissional.

– Oversose de Informação

– Comprar, jogar fora, comprar

Agora você já pode acompanhar as novidades do BdB pelo Facebook, acesse e curta nossa página.

Anúncios

BdB Recomenda – Aprenda a programar online e sem custos

O BdB Recomenda de hoje apresenta um projeto muito interessante, chamado Codeacademy – Learn to Code. O projeto criado a partir das frustrantes experiências enfrentadas por Zach Sims e Ryan Bubinski. Cansados de vídeos e tutorias pouco eficientes, eles criaram o Codeacademy, como uma maneira extremamente interativa de aprender a programar, através da prática direta da programação.

Codeacademy

Para começar o aprendizado basta se cadastrar no site (pode utilizar a própria conta do facebook) e começar a realizar os exercícios. Os exercícios são conduzidos de maneira gradual, apresentando os conceitos fundamentais para aprender a programar de maneira prática, além disso, o ambiente possui um fórum de ajuda bastante participativo e dicas para ajudar na resolução dos problemas.

Code Year - 2012

O projeto é audacioso e deseja ensinar programação a pessoas de diferentes áreas de atuação. Segundo o próprio Zach “As pessoas têm um desejo genuíno de compreender o mundo que vivemos. Eles não querem apenas usar a Web; Eles querem entender como ela funciona.”

O custo para começar o aprendizado é ZERO. Atualmente estão disponíveis cursos de JavaScript e HTML.

E não esqueça de nos seguir no Twitter e juntar-se a nós no Facebook para ser informado das novas atualizações do blog!

Testes + Design (e não Testes X Design)

Quando recebi o convite para começar a escrever no BdB fiquei muito feliz por dois motivos. Primeiramente, sempre tive vontade de escrever sobre o meu trabalho na área de UX. Compartilhar um espaço junto com as feras que aqui escrevem só tornou esse desejo ainda mais prazeroso. Em segundo lugar, escrever uma coluna de UX num blog com colunas em testes representou (e ainda representa) um desafio interessante tanto do ponto de vista de designer como de colunista.

Antes de mais nada, gostaria de contar um pouco minha trajetória. Trabalhei um pouco mais de três anos com testes de software em projetos para a Motorola. Na época UX e outras siglas bonitas não eram tão conhecidas (pelo menos aqui no Brasil) e o grande boom tinha ocorrido justamente na área de testes. Hoje, a nova moda é falar de arquitetura de informaçãousabilidade, acessibilidade e mais um monte de “ades” que permeiam os blogs, revistas e conversas de TI. É verdade que uma área  – testes, no caso – não tem a mesma abordagem da outra – UX – mas, até que ponto as duas são diferentes ou iguais entre si?

Testes e design podem caminhar juntos
Testes e design podem caminhar juntos

A princípio elas não se encontram seja quando falamos de disciplinas, métodos ou técnicas mas, se começarmos a pensar, vemos que ambas existem para melhorar a qualidade e entregar um produto final melhor. Ainda mais, quando falamos de User Acceptance Testing estamos na verdade mesclando elementos das duas áreas. Na abordagem do UAT temos um ou mais indivíduos validam o sistema com requisitos do usuário que como podemos imaginar, não necessariamente coincidem com os requisitos do sistema. Normalmente eles avaliam aspectos não-funcionais que podem ser muitas vezes desconhecidos por parte dos testadores. O UAT normalmente funciona como uma verificação final em um ambiente e com condições mais próximas do que os usuários finais utilizarão e por isso, é colocado como uma das fases finais do processo de testes. É importante ter em mente que esse tipo de testes foca mais em detalhes e do que em erros mais graves (erros esses que devem ser capturados em fases anteriores de testes).

Testes de aceitação - o usuário define o que está certo ou não
Testes de aceitação - o usuário define o que está certo ou não

Em resumo, é importante termos em mente de que normalmente uma atividade que aparentemente não tem correlação com uma outra área pode influenciar não somente o jeito de se trabalhar, como também o tipo de artefato que geramos ou técnicas que utilizamos. As vezes, podemos aprender mais com alguém que aparentemente não tem nada a compartilhar conosco do que nosso colega da mesa ao lado.

#TGIF – Overdose de Informação

Essa semana vi uma imagem [que constata um fato] no facebook que me deixou um pouco assustado com as possíveis consequências desse fato!

O fato é que estamos sendo bombardeados de informação o tempo inteiro e as consequências disso ainda são desconhecidas. As crianças que nasceram no(s) último(s) ano(s), irão crescer dentro dessa realidade, e só então quando estiverem em uma idade adulta (toda essa geração) é que vamos ter uma idéia mais concreta das consequências desse fato! Quais serão essas consequências??

Eis aqui a imagem!

Para mim isso é assustador, e para você??

BdB Recomenda – Ferramentas para analisar o desempenho do seu site

O BdB Recomenda de hoje é feito para os desenvolvedores web que se preocupam em saber se a parte operacional do seu site é satisfatória. Os problemas clássicos  do desenvolvimento de sites que se costumam enfrentar hoje são dois e podem se resumir em duas frases: “O site é lento” e “O site não funciona no navegador X”. Hoje iremos explorar a problemática de desempenho.

Foram escolhidas três ferramentas que são uma mão na roda para analisar “o porquê” da lentidão do seu site, e também, algumas delas sugerem algumas melhorias para os testes encontrados, podendo assim até auxiliar a equipe de desenvolvimento.

A primeira ferramenta é o Blame stella, no qual consiste em uma ferramenta gratuita com interface muito simples, onde o usuário insere a url desejada em um campo e após rodar o benchmark, ele reporta algumas informações como tempo de resposta, latência na rede do servidor, latência da aplicação, tempo do download dos assets do site e um adjetivo para transcrever o desempenho analisado, tais como “The Best”, “Poor”, “Not Best”, etc.

A grande vantagem dessa ferramenta é que ela fornece um relatório que pode ser compreendido por pessoas que não necessariamente são especialistas em desenvolvimento web. Uma outra opção que o serviço oferece é que você pode escolher monitorar seu site e descobrir se o seu servidor possui desempenho instável, por algum motivo. Entretanto se trata de um serviço pago, a partir de U$ 8,00/mês.

Se você é desenvolvedor e quer sugestões técnicas para melhorar o desempenho de seu código, a sugestão mais apropriada para você é o Yslow, criada pelo yahoo. A ferramenta que além de dar uma nota para cada teste rodado, ela também passa algumas sugestões para melhorar o desempenho do módulo que não passou no teste. As sugestões podem variar em configuração de dns, posicionamento de includes de javascript, minificação de arquivos e muito mais.

Por fim e não menos importante, temos o firebug que consiste numa extensão para o firefox que consegue analisar o tempo exato do carregamento dos assets do seu site, além de possibilitar também um debugging e a edição em tempo real do seus arquivos css, javascript ou html do seu site. Para quem precisa fazer experimentos mensuráveis e pontuais é a alternativa perfeita. Se você usa outros navegadores também existem algumas alternativas, as quais possuem uma proposta similar ao firebug, tal como Web Inspector para Safari, Google Chrome Inspector para o Chrome, Opera Dragonfly para o Opera e por incrível que pareça IE Developer Tools para o IE, vale a pena ver.

Se você conhece alguma ferramenta que você acha crucial para a análise de uma aplicação web e não foi abordada nesse post, comente abaixo, sua recomendação será muito bem-vinda.

#Vagas – Mais Oportunidades na Stefanini – SOA

É com prazer que o BdB  continua  a parceria com a área  de Talent Acquisition (que é a área responsável por recrutamento e seleção) da Stefanini. Lembrando sempre que as vagas e oportunidades que forem surgindo vão ser divulgadas aqui no BdB para que você possa aproveitar e se candidatar (caso interesse).

Interessados enviar currículo para talentosrs@stefanini.com especificando no campo “assunto” com o código da vaga.

Desenvolvedor Oracle SOA (Cód. 130654)
Requisitos: Experiência em desenvolvimento de soluções de integração entre sistemas. Conhecimento de Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) e da plataforma Oracle SOA Suite (OSB e Oracle BPEL). Conhecimento de XML, Webservices, SOAP, WSDL, XSD, Xquery e XSLT.
Atividades: Integração de sistemas utilizando a plataforma Oracle SOA Suite. Criação de serviços utilizando OSB e orquestração de serviços utilizando Oracle BPEL.
Escolaridade: Desejável superior completo ou em andamento em Ciências da Computação, Sistemas da Informação ou afins.
Remuneração: de acordo com o perfil profissional.
Vagas: 3
Local de trabalho: Porto Alegre/RS
Horário: turno integral.

Governança Oracle SOA (Cód. 130654)
Requisitos: Experiência em desenvolvimento de soluções de integração entre sistemas. Conhecimento de Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) e da plataforma Oracle SOA Suite (OSB e Oracle BPEL). Conhecimento de XML, Webservices, SOAP, WSDL, XSD, Xquery e XSLT.
Atividades: Integração de sistemas utilizando a plataforma Oracle SOA Suite. Criação de serviços utilizando OSB e orquestração de serviços utilizando Oracle BPEL.
Escolaridade: Desejável superior completo ou em andamento em Ciências da Computação, Sistemas da Informação ou afins.
Remuneração: de acordo com o perfil profissional.
Vagas: 3
Local de trabalho: Porto Alegre/RS
Horário: turno integral.

Líder Arquiteto SOA (Cód. 130654)
Requisitos: Experiência em liderança e desenvolvimento de soluções de integração entre sistemas. Conhecimento de Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) e da plataforma Oracle SOA Suite (OSB e Oracle BPEL). Conhecimento de XML, Webservices, SOAP, WSDL, XSD, Xquery e XSLT.
Atividades: Integração de sistemas utilizando a plataforma Oracle SOA Suite. Criação de serviços utilizando OSB e orquestração de serviços utilizando Oracle BPEL.
Escolaridade: Desejável superior completo ou em andamento em Ciências da Computação, Sistemas da Informação ou afins.
Remuneração: de acordo com o perfil profissional.
Vagas: 3
Local de trabalho: Porto Alegre/RS
Horário: turno integral.

Próxima semana serão postadas mais vagas aqui no BdB! Então se você quer ficar ligado e ser notificado nas próximas publicações, basta Curtir nossa página do facebook no botão do menu da direita, ou acessar diretamente nossa página do facebook. Ah, não se esqueça de seguir o BdB no Twitter também!

#TGIF – Comprar, jogar fora, comprar

Você já ouviu falar em Obsolescência programada?

Seegundo a wikipediaObsolescência programada é a condição que ocorre a um produto ou serviço que deixa de ser útil, mesmo estando em perfeito estado de funcionamento, devido ao surgimento de um produto tecnologicamente mais avançado.

Abaixo segue um longo documentário (com legenda em portugês) explicando do que se trata, e mostrando a história e a realidade do nosso capitalismo e da nossa querida Obsolescência programada!

Qualquer semelhança com a estratégia da Apple ou qualquer outra fabricante de produtos NÃO é mera coincidência!

Leia, também, outros artigos já publicados na série:

– Desafio dos 30 dias

– O que você fez durante a semana para ser lembrado?